Europa

Fuga para Lisboa, parte dois

Pin
Send
Share
Send


No dia seguinte amanheceu com muito sol e saímos com o desejo de aproveitar o segundo e o último dia em Lisboa. Para começar, nosso guia nos levou para tomar café da manhã no bairro de Belém e, mais especificamente, para uma padaria muito famosa e altamente recomendável que eu não saiba como se chama, mas é na Rúa de Belém, entre Marta Pinto e a placeta com vista para o mosteiro, e tem toldos azuis com letras brancas. As pessoas fazem fila na rua para comprar as "pastas de creme", que são massa folhada com muito bom creme por dentro. No entanto, a boa experiência é entrar e sentar à mesa para comê-los, porque, ao fazê-los ali mesmo, sem parar, são servidos frescos do forno (ao contrário das outras centenas de confeitarias onde vendem esses bolos). O interior é enorme e há muitas mesas. Você também pode ver o processo de fazer os cupcakes viverem através de um copo. Enfim, nos sentamos lá e bebemos café, chocolate e "pastis". Para pedir café em Portugal, você precisa aprender um pouco de vocabulário, porque eles têm muitos tipos de café, dependendo do recipiente e da quantidade de leite, p. Por exemplo, “uma bica” é uma xícara de café pequena e forte, “uma meia de leite” é 50% de café / leite, “um garoto dark” é cortado, “um galao” é um copo de café com leite curto de café etc.

Neste estabelecimento você pode saborear os excelentes bolos de creme

Depois de preparar os pastéis, vi que em uma parede havia uma carta com todos os diferentes tipos de massas que eles fazem lá. Que pena não ter experimentado os quatrocentos outros tipos!

Eles são super bons

Finalmente, saímos de lá e ficamos surpresos na mesma rua, mas um pouco mais adiante, em frente à residência presidencial, a troca de guarda, que curiosamente só pode ser vista no terceiro domingo de cada mês.

Depois fomos Chano Chinês para o "Mosterio dos Jerónimos", mas não entramos porque havia uma multidão de turistas fazendo fila. Em vez disso, estávamos olhando para os estandes de lembranças de Portugal à nossa frente e passeamos no parque. Então, uma coisa curiosa aconteceu conosco: queríamos passar o trilho do trem para chegar à famosa Torre de Belém (que fica um pouco mais longe quando se afasta do centro de Lisboa tocando o rio), mas não vimos nenhum passo que o atravessasse ou acima ou abaixo, pegamos o carro novamente e fizemos uma mega-volta para chegar ao outro lado da estrada e descobrimos com horror e cara tola que havia uma passagem subterrânea logo em frente ao mosteiro do outro lado da fonte. Isso aconteceu conosco por não perguntar!

Torre de Belém

A Torre de Belém é muito emblemática, foi construída em 1515 para defender a cidade e, inicialmente, estava no meio da foz do Tejo, embora agora esteja próxima ao porto. De lá, embarcaram os navegadores que partiram para descobrir novas terras. Ficamos um tempo tirando fotos e vendo a maré subir gradualmente.

Vídeo: Congresso do PSE na Lisboa em fuga da austeridade (Setembro 2020).

Pin
Send
Share
Send